REDD+ NO MERCADO DE NOVOS E USADOS DE MADEIRA

Não existe uma base de dados que possa apresentar a movimentação mensal ou anual da quantidade assim como de valores dos móveis, esquadrias além de madeiras pelo seu segundo uso, que existe nos estados, regiões ou no Brasil.

São portas e portões, janelas e janelões, mesas, cabeceiras, bancos, cadeiras, camas de solteiro, camas de casal, beliches, treliches, armários, cristaleiras, prancha, caxilhos, forro de madeiras além dos POM (Pequenos Objetos de Madeira), inclusive se formos procurar em antiquários podemos encontrar uma infinidade de objetos e equipamentos de madeira, feitos e reaproveitados de madeiras que já passaram pelo segundo, terceiro ou mais usos.

Existem inúmeras histórias que sabemos acerca de móveis que pessoas dizem e recordam dos avós, bisavós ou ainda de gerações mais distantes que foram marcadas por móveis que existem até hoje. Qual móvel lhe traz recordação do passado?

Casas. No Brasil e no Mundo a madeira é tão utilizada que até casas inteiras são construídas desse material. Quando se fala em casa de madeira, um dos itens mais importantes é justamente o tipo de madeira utilizada. Existem diversas opções de madeira que são utilizadas para construção de casas. A qualidade destas madeiras implica diretamente na durabilidade e facilidade de manutenção da casa. A durabilidade de uma casa de madeira está muito ligada à qualidade do material da obra, execução e manutenção. Ao utilizar materiais de alta qualidade, você garante a durabilidade e reduz a preocupação com a manutenção, tendo uma construção que permanecerá perfeita para as próximas gerações de sua família. Porém mesmo depois de usar a madeira na casa, muitas das vezes ao se fazer reforma, a madeira é utilizada para outros nobres fins.

Visualizado um mercador em alto crescimento, a construção civil usa a madeira que é um material natural, vegetal, abundante e renovável na natureza. A construção civil faz uso desse recurso desde épocas pré-históricas, pois a sua alta resistência mecânica e baixa densidade oferece um bom desempenho às estruturas e facilidade de trabalho. Além disso, a madeira possui um resultado estético sempre autêntico, que traz conforto e aconchego aos espaços onde é adotada. Vários fatores influenciam as características da madeira, tais como: composição e umidade do solo no local de crescimento da árvore, incidência de chuvas, condições de insolação e de temperatura, posição da árvore na mata, época do corte e processo de extração, entre outros. Tais fatores provocam variações significativas na madeira, mesmo se tratando de árvores da mesma espécie oriundas da mesma região. Para execuções expostas a intempéries, como decks e pergolados, indica-se o uso de madeiras mais duras, resistentes ao tempo, como o ipê. No entanto, apenas o uso da madeira mais indicada não é suficiente. É necessário ficar atento a outras questões relacionadas à durabilidade do material.

E qual a qual a relação do REDD+ (Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação) com móveis e objetos usados de madeira tem?

O REDD+ é um incentivo desenvolvido no âmbito da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC) para recompensar financeiramente países em desenvolvimento por seus resultados de Redução de Emissões de gases de efeito estufa provenientes do Desmatamento e da Degradação florestal, considerando o papel da conservação de estoques de carbono florestal, manejo sustentável de florestas e aumento de estoques de carbono florestal (+).

O país em desenvolvimento apresenta à UNFCCC todos os elementos para obtenção do reconhecimento de seus resultados de REDD+. Uma vez que o processo é finalizado, os resultados de REDD+ medidos em tCO2e serão inseridos no Lima Information Hub. O país está então apto a captar recursos de pagamentos por resultados. Os pagamentos serão efetuados por diversas fontes internacionais, em particular do Fundo Verde para o Clima (GCF, na sigla em inglês). Os pagamentos são feitos por resultados alcançados ex-ante. A distribuição dos benefícios, portanto se dá de acordo com regras definidas nacionalmente. Não há regras e/ou exigências quanto ao uso desse recurso vez que o pagamento se deu por ações executadas no passado.

Assim, vamos analisar. Quando você utiliza e reutiliza a madeira mais e mais vezes, estamos evitando o corte de árvores aumentando a conservação e mantendo o estoque de carbono.

Ou seja, os vendedores e as lojas de novos e usados de madeira, estão praticando a REDD+ e conservando a natureza. Isso é sustentabilidade. [email protected]